top of page

CONEXÃO, CORPO E ESPIRITUALIDADE.

COMO REFERENCIAR ESSE ARTIGO

DA COSTA E SILVA, C.; VOLPI, S. M. Conexão, corpo e espiritualidade. In: VOLPI,

J. H.; VOLPI, S. M. Módulo 3, Unidade 3. Curitiba: Centro Reichiano, 2022. Acesso

em: ____/____/____.



Christiane da Costa e Silva

Prof. Me. Sandra Mara Volpi


RESUMO


Há muito prevalece a dicotomia corpo-mente. Essa separação, fortemente estimulada no mundo ocidental, afasta o indivíduo de sua essência, de sua conexão com a natureza a qual Lowen chama de graciosidade natural. A graciosidade natural se expressa no corpo através de sua vitalidade e da sensação de pertencimento.


Palavras-chave: Energia. Espiritualidade. Graciosidade. Lowen.


Na obra “A espiritualidade do corpo: Bioenergética para a beleza e a harmonia”, Lowen

(2018) apresenta a relação entre saúde e espiritualidade; e faz alguns apontamentos sobre as

diferenças entre a visão ocidental e oriental. A partir da leitura podemos pensar que o conceito

de saúde é biopsicoespiritual, pois envolve as questões físicas, psíquicas e espirituais.

Diferente de uma visão ocidental, onde impera a valorização do intelecto reforçando a

dicotomia corpo-mente, o estado de saúde é um estado de equilíbrio entre o indivíduo e o

universo, a harmonia entre o ego e o corpo, uma harmonia que é negada pela medicina

mecanicista ao não enxergar o ser de maneira integrativa, e ao negar princípios como a fé e a

espiritualidade (LOWEN, 2018).

O homem, mesmo que de maneira inconsciente, busca pelo seu estado natural de

pertencimento e conexão com todas as formas de vida existentes neste planeta e para além.

Toda a experiência vivida por um ser humano e registrada na mente, também está

presente em seu corpo. As repressões sofridas desde a infância nos afastam do estado de

graça e afetam a autorregulação. A redução ou perda da capacidade de autorregulação afeta a

capacidade do indivíduo de responder a uma experiência traumática, e por sua vez a

capacidade do corpo de se curar. Dessa maneira, os traumas guardados no corpo se

manifestam no inconsciente podendo ser reativados em outro momento.

Somos seres pulsantes, movidos pela energia de contração e expansão, que é

produzida através da respiração. A energia é a força por trás do espírito e a base da

espiritualidade do corpo (LOWEN, 2018).

A respiração fornece a energia necessária para o metabolismo, não apenas como um

ato mecânico, mas como uma manifestação espiritual do corpo. Infelizmente ao longo do desenvolvimento, ao enfrentar situações adversas, com maior ou menor envolvimento

emocional, podemos perder a capacidade da respiração natural - aquela que envolve todo o

corpo.

Lowen (2018) também fala sobre a autoconsciência e como isto afastou o homem do

sentir e do estado de graça e conexão com o todo. O homem atual não se dá conta da perda

da sua graciosidade natural e acredita que questões ligadas aos problemas psicológicos nada

têm a ver com o seu corpo físico “A graça e a saúde dependem de encontrar um equilíbrio

entre o ego e o corpo, entre arbítrio e desejo.” (LOWEN, 2018, p. 66).

Quando estamos conectados com nós mesmos e com a vida, podemos nos conectar ao

outro, entrar em ressonância. Os órgãos dos sentidos e a pele do corpo são na maior parte os

responsáveis pela nossa percepção do mundo, porém não reagimos somente aos impulsos

externos, mas reagimos também aos impulsos que se iniciam dentro de nós.

Os estados do corpo refletem claramente como nos sentimos. Como diz Lowen “O

sentimento é a vida do corpo" (LOWEN, 2018, p. 85). Sentir nossas próprias tensões e

perceber o sentimento a elas atribuído é a chave para recuperar a graça perdida.

Em todas as interações manifestamos a nossa sexualidade, independente do contexto.

A sexualidade constitui-se através da maneira como lidamos com nós mesmos, com o outro e

com o meio no qual estamos inseridos. Um corpo rígido e de pouca energia certamente

encontrará dificuldade na sua expressão.

A capacidade de sustentar grandes quantidades de energia tem a ver com o senso de

conexão com a realidade e a isso Lowen chamou de grounding. Nossos pés estão em contato

com a terra – com a realidade material – e nossa cabeça apontada para o céu, para o mundo

da transcendência. Assim nos ligamos à realidade da vida sem desconectarmos do espírito.

Lowen (2018) mostra que o conflito entre o ego e o corpo afasta-nos do estado de

graça, reduzindo a sensação de paz interior, que só é possível quando o indivíduo amplia sua

percepção para além de si mesmo. A paz de espírito vem da confiança e harmonia consigo

mesmo e com a natureza ao redor.

A graciosidade perdida não pode ser reestabelecida apenas através da mente, pois as

neuroses estão armazenadas no corpo. É por meio do corpo que encontramos um caminho

direto de acesso ao inconsciente, pois identificando as tensões existentes no corpo, o indivíduo

também se percebe.

O corpo é o caminho de volta para casa, através dele nos realizamos e nos sentimos

pertencentes. De maneira lúcida, Lowen (2018) mostra que a fé e a espiritualidade são um

estado de comunhão com universo, regido pelo sentimento de amor por todos os seres. Um

corpo gracioso reconhece a sua pulsação, busca pela expansão e confia. Confia em si. Confia

no outro. Confia na vida.


REFERÊNCIAS

LOWEN, A. A espiritualidade do corpo: Bioenergética para a beleza e a harmonia. São

Paulo: Summus, 2018.



14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page